Os dois barcos serão cheios

Ref: Lucas 5.2,6,7.



O Mar da Galileia banhava muitas cidades - na verdade ele é um lago existente na região da Galileia e fornecia muitos peixes para o mantimento financeiro de muitas cidades.


Quando Jesus chegou ao Mar da Galileia, ele viu dois barcos. Podemos extrair duas óticas nesta história: de quem está dentro do barco de Pedro, e de quem está no outro barco.


Jesus entrou no barco de Pedro e pediu que ele lançasse as redes novamente, (Pedro e seus companheiros, já haviam lançado as redes a noite inteira, sem êxito.)


Pedro debaixo de uma palavra, vai, obedece e lança as redes. Jesus então o chama para ser também pescador de almas.


Mas no outro barco, há uma outra visão. Qual a sensação, o sentimento de quem está vendo Jesus no barco de Pedro e uma multidão em volta do outro barco?


O barco ao lado de Pedro era de Zebedeu, pai de Tiago e João, e este mais tarde veio a ser o discípulo amado.


Mas quando Jesus chegou na praia, não viu apenas o barco de Pedro, mas os dois barcos. Ele vê a nossa vida e a do outro. Há alguns princípios nesta Plavra:


1. O tempo do meu chamado não determina o tamanho da minha provisão. Quando a hora de Deus nos abençoar chega, nada pode impedir - Ele controla as estações.


2. O canal para encher o seu barco não precisa ser o convencional. O Senhor é dono da provisão e quando Ele decide o barco “fica


3. Diante de Jesus, quem compartilha jamais fica com seu barco vazio.


Deus viu sua situação. Ele vai atender a sua necessidade. Não desanime!


Pr. Tarcis Junior #CathedralInternational19anos


0 visualização