Restaurando a paternidade integral


Filho não vem pronto, filho se constroi. Filho não se perde na rua, filho se perde em casa.


Nosso desafio como pais é transformar nossos filhos em seguidores de Jesus. No texto de Salmos, Salomão compara os filhos a uma arma; a flecha. Fazer uma flecha de forma artesanal exigia tempo, habilidade e criar filhos é a mesma coisa; não dá para terceirizar a criação. Criamos filhos de forma artesanal.

Quem dá o destino para a flecha (filhos) é o arqueiro. Onde estão caindo as nossas flechas? Os pais precisam compreender algumas verdades elementares:


- Todo filho quer presença, antes dos presentes.

Num mundo capitalista e materialista, os pais estão invertendo a ordem dos valores. Nada substitui a presença dos pais.

Presença vem antes de presentes e o tempo é a moeda de maior valor que possuímos. Não diga que você ama alguém, se você não investe tempo com a pessoa, porque o tempo é a moeda do amor. Invista tempo sentado à mesa com sua família. Um lar inicia-se à partir da mesa. Com o advento da tecnologia muita coisa melhorou, mas ao mesmo tempo afastou as pessoas. Por exemplo; as pessoas estão conectadas virtualmente com o mundo, mas desconectados dentro de casa. *Pais ausentes, filhos emocionalmente doentes.* Todo filho quer relacionamento antes das regras. (Pv 18.24)

- O erro de um pai pode custar muitos anos de oração por alguém. Nenhuma outra ferida emocional é mais profunda que uma ferida paterna.


Quando você tem uma ferida paterna, você vê tudo através da ferida. Uma ferida emocional paterna, pode estagnar uma pessoa.

E como ser curado dessas feridas paternas?

- Respeite a história do seu pai;

- Perdoe seus pais; - Decida fazer diferente dos seus pais.

José do Egito, decidiu ser o agente de milagres da sua família. A partir dele foi construída uma nova história.

A partir de hoje você verá a sua perspectiva não à partir da ferida, mas à partir da cruz, da graça.

Pr. Josué Gonçalves Edição: Renata S Santos



11 visualizações